Amigos – estou deixando de alimentar este blog, para iniciar uma nova jornada no:

www.blogdocredito.com.br

No novo blog você encontrará – além de tudo que encontra aqui – a disseminação da técnicas de crédito de forma mais profunda e estruturada.

Obrigado pelo prestigio das suas visitas neste blog e obrigado em dobro pelas visitas no novos www.blogdocredito.com.br .

Abraços, Fernando

Caros – este link da revista Cliente S.A. traz uma análise rápida sobre o crescimento do crédito no Brasil.

São otimistas. Bem otimistas. O volume (estoque) do crédito no Brasil está ao redor de 45% do PIB e já falam em números acima dos 50% em 2010.

O que vai acontecer:

  1. Crédito para PF continuará ofertado até que o cidadão endividado e desinformado, i.e. a maioria, se entupa de tanta dívida e comece a parar de pagar. Quando isto vai se dar eu não sei, mas só não acontecerá se houver algum milagre financeiro-educacional neste país.
  2. Crédito habitacional crescerá em rítmo galopante. Apenas uma crise de crédito (Parte II – A Missão) brecaria este avanço. Mas como é fatia pequeno do estoque de crédito, o impacto será pequeno.
  3. Crédito para investimento, de longo-prazo, para grandes empresas deverá ser fornecido por fontes como BNDES e emissão de títulos (debentures e bonds internacionais). Creio que não haverá falta de recursos.
  4. E para as PME’s? Aí é que mora o problema, pois os bancos e as seguradoras de crédito tiveram muitas más surpresas neste segmento de mercado e estão muito conservadores. O capital de giro continuará caro (ainda que menos caro) e de curto prazo…para aqueles que continuarem a se relacionar com os bancos de forma amadora!

Como sempre digo, analisar apenas o lado “quantitativo” do crédito ajuda, mas ajuda pouco, pois é no “qualitativo” da análise que a coisa pega.

Abraços, F.

Não, eu não irei comentar a famosa canção do Legião Urbana sob a sua ótica original, que tratava das lambanças políticas e injustíças sociais tupiniquins.

Aliás, muito pelo contrário. O foco aqui é o festival de boas notícias econômicas. Só para ficar com o Estadão de hoje temos:

1. “Ritmo das montadoras gera protestos”

Sim, os trabalhadores daqui estão reclamando da carga de trabalho, do cancelamento das férias, etc. Lá fora o protesto é por falta de emprego, fechamento de fábricas e por aí segue.

2. “Microempresas retomam contratações”

Segundo pesquisa do SIMPI, 11% das empresas pesquisadas contrataram e apenas 2,8% demitiram. Há um ano, 30% delas falavam em demissão. Lá fora, ninguém contrata ninguém.

3. “Caixa bate recorde em crédito para casa própria”

Ainda que esta seja mais uma ação de política governamental do que propriamente empresarial, o que vale é que o crédito imobiliário no Brasil cresce de forma vigorosa (inclusive no setor bancário privado) e saudável. O crédito imobliário no Brasil é fundamental para o desenvolvimento econômico, gera emprego, não é tão caro como as demais linhas de crédito…e continua isento de “bolhas”.

Que país é esse?

Abraços, F.

Amigos,

Quem acompanhou este blog durantes os dias agudos da crise sabe bem que eu sou fã do Paul Krugman, professor de Princeton e Prêmio Nobel.

Pois ontem eu tive a experiência única de almoçar com ele durante a Expo Management, onde ele foi um dos convidados top. É que a Coface fechou um acordo com a HSM, que promove a Expo Management, e ofereceu um almoço com Paul Krugman para 40 clientes, que puderam fazer perguntas, debater. Uma experiência única para todos, de fato.

E por conta da minha posição na empresa pude “tietar” o nosso palestrante à vontade.🙂

Algumas conclusões:

  1. O cara é uma simpatia e bastante simples – nada de “super star”!
  2. Como ele mesmo me disse, é bem mais baixo do que a gente espera.🙂
  3. Como todo ser inteligente demais e com muita informação na cabeça, ele demonstra uma certa dificuldade para organizar as idéias para responder perguntas de…”mortais” como eu e você.

Ele me disse que após 2 dias no Brasil estava com o espírito mais otimista.  Só que como ontem mesmo voaria de volta para os EUA, para participar de uma reunião com o Grupo de Assessores Econômicos de Obama, em Washington,  seu otimismo voltaria ao normal rapidamente, i.e. pessimista…

O ano vai chegando ao fim e posso me orgulhar de uma coisa boba: em 2009 eu tive encontros reservados com dois (dos 30) assessores econômicos oficiais de B.Obama. Primeiro foi com o Keneth Rogoff, em janeiro, e agora com o Krugman.

Quando comentei este fato, ele me respondeu: “Rogoff has been doing a great analytical work, but he is more negative than I am”. É que Rogoff acredita que a economia americana andará de lado durante 10 anos (crescendo ao redor de 1% a.a.).

A seguir, leiam a visão de Paul Krugman neste link da Expo Management.

Abraços, F.

É, o Presidente está fazendo a parte dele, pois convocou os bancos a aumentarem o volume de empréstimos para as PMEs, afinal, estas são o verdadeiro motor da economia e principais geradoras de empregos.

Estou falando de Barack Obama!🙂 Sim, ele chamou os bancões que receberam ajuda do governo e deu um aperto neles!

Só que, lá como aqui, este tipo de apelo não resolve, salvo se houver alguma promessa de “maldade” anexada ao discursos, tipo: “quem não aumentar em pelo menos 25% o volume de concessões de empréstimos para PMEs terá que recolher 10% a mais de compulsórios e…”.

Já disse e repito: crédito não sobe e juros não caem por conta de discursos. Faça sua parte e prepare-se profissionalmente para lidar com o seu crédito e seus bancos.

Abraços, F.

Este post foi publicado no site www.financialweb.com.br, no qual também escrevo eventualmente.

Peguei carona na bela matéria do Leandor Modé, do Estadão deste domingo.

Abraços! Fernando

Amigos,

Segue o link para o texto que escrevi para a Revista França Brasil, da Câmara de Comércio dos dois países.

“A Nova Normalidade”

Disclaimer: é um texto que dá visão macro, o que não significa que teremos setores em expansão (petróleo) e outros em contração (exportadores de equipamentos para EUA/Europa).

Abraços,

Fernando

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.