Xeretando no Google me deparei com um artigo interessante do Prof. Ernesto Lozardo, da FGV de S.Paulo. Tirando alguns dados que, obviamente, foram ultrapassados pelo fator tempo, o texto tem uma atualidade irritante…

http://www.fgvsp.br/academico/professores/Ernesto_Lozardo/Artigos/Real056.htm

Não há dúvida que evoluímos, pois o volume de crédito já atingiu 36% do PIB, mas poderia ser muito mais, melhor distribuido e mais barato.

A luta continua! Abs.