Olá! Servir dá prazer e alimenta o espírito de energias positivas. Pois é isto que eu sinto quando me reuno com os Empreendedores Endeavor, um grupo de empresas PJ que são apoiadas por este fantástico instituto. Vale dar uma checada no www.endeavor.org.br .

Como sou Voluntário Mentor, com ênfase em Relacionamento Bancário, avalio como estes empreendedores estão se relacionando com os bancos e os aconselho quanto ao caminho a seguir neste campo.

Destaco que a empresa apoiada pela Endeavor é diferenciada. Para ser aceita pelo Instituto o empresário passa por uma maratona de entrevistas – e sua empresa por inúmeras análises – ao melhor estilo Darwiniano. São empresas com forte teor inovador e potencial de crescimento acelerado. Mas, em geral, falta gestão, pois o empreendedor tem que cuidar da inovação e das demais tarefas mundanas da administração – dentre elas cuidar do Relacionamento Bancário!

O meu ponto é o seguinte: até os Empreendedores (diferenciados) Endeavor acabam sendo (mal) tratados como a lojinha da esquina [e não é ‘achismo’ da minha parte, mas constatação empírica] – e com todo respeito pelo empreendedor da lojinha da esquina, as necessidades dos Empreendedores Endeavor são, em geral, muito mais sofisticadas, pois estamos falando de crescimento acelerado.

Exemplificando…

Sabem aquela mocinha brasileira que faz um sucesso danado lá fora, a Gisele Bundchen? Pois é, imaginem a Gisele ao final de um dia de batente na fábrica de sapatos em que ela trabalhava no interior do RS. Sacaram? A roupinha sem graça, rostinho caído e suado – o ânimo equivalente à falta de perspectiva. Pois é assim que as empresas PJ se apresentam aos bancos!

É sabido que La Bundchen levava a vidinha acima descrita, até que um “olheiro” conseguiu enxergar na moça uma beleza e um charme que, seguramente, estavam bem escondidos por trás da falta de brilho que aquele ambiente sugeria. A sua PJ precisa deste “olheiro”. A leitura deste post é um primeiro passo.

Todas as modelos famosas contam que, quando estavam na escola, eram chamadas de Olivia Palito, pois eram todas altas e magras. Assumo que a Gisele não escapa à regra, i.e. para arrumar namorado ou fazer amigas não devia ser fácil.

Mas agora, ao contrário, tem fila de tudo para a moça: é fila de pretendentes (“Magrela, ela?”), fila de patrocinadores (da C&A até Dolce&Gabana), fila de corretores de imóveis (“Bom dia, Mrs. Gisele, que tal uma ilha particular nas Maldivas?”), e até fila de diretores de Private Banking (“Vamos diversificar a sua carteira de fixed income com alguns exotic derivatives e…”), etc.

Pois é isso que temos que fazer com o seu negócio: tem que ter fila de banco querendo fazer negócio com você (“na jurídica” e “na física”)! Vamos descobrir o valor que o seu negócio tem, mas que está escondido e anunciá-lo. Ao final, quem não lhe atender bem irá perder o cliente, pois sempre terá outro motivado a agradá-lo!

Que tal? A série continua, com algumas dicas mais concretas.

Abs, FBAuto-explicativo...

Anúncios