Olá, ontem o Estadão publicou uma reportagem sobre a crescente importância do BNDES no financiamento da indústria nacional. O jornal comentou que o banco hoje representa 10% do ‘funding’ dos investimentos das empresas, contra uma participação histórica de 6%.

Mas poderia ser mais, muito mais! Ou melhor, poderia atingir muito mais empresas, em especial as pequenas e médias. Dinheiro não falta: o banco deverá liberar este ano R$ 84 bilhões. E os programas também são muito bons, como por exemplo o Cartão BNDES. Mas então, o que falta?

  1. Você, pequeno ou médio empresário, pretende expandir sua empresa e precisa de financiamento de 2, 3 ou 5 anos, que seja. Ao ir até o seu gerente negociar com ele uma linha do BNDES, irá sofrer muito para convencê-lo. Cansei de ver gerente dizer para o cliente: “Esquece isso! Vai te dar um trabalhão e demorar mais de 6 meses para liberar o dinheiro….isso se o BNDES aprovar. Olha, vou aumentar o prazo da tua conta-garantida de 90 para 180 dias e reduzir a taxa mensal. Que tal de 2,5% a.m. para 2,25% a.m.?” Isto não é piada!! E o empresário tomava (e toma!) a linha curta e cara, ao invés de lutar por uma linha adequada no prazo e no custo!
  2. Os bancos não se animam em aprovar linhas pequenas do BNDES (para empresas médias e pequenas), porque o trabalho para eles é grande e o spread que ganham é menor. E é menor porque a precificação é transparente – tem o custo básico do BNDES e o del-credere do banco privado. Acabou. Não tem CDI+X%, tarifa disso e daquilo, etc.
  3. Realmente, as operações do BNDES são demoradas e trabalhosas. Lamentavelmente, o BNDES exige que, na maioria dos negócios, que haja um banco privado garantindo a operação, i.e. e intermediando-a.
  4. Mas todo empresário tem obrigação de financiar seus investimentos empresariais (que só darão retorno no longo-prazo) com linhas de longo-prazo. Do contrário, é roleta-russa! E tem de lutar para conseguir linhas do BNDES, com o seu banco ou com um concorrente!
  5. Mas atenção: empresa que não tem Balanço – ou que tem daqueles que dizermos serem “feitos no papel de embrulhar pão” – não tem a menor chance.

O dinheiro do BNDES é longo e barato (vis-a-vis o que há disponível por aí), mas demanda competência empresarial (gestão), planejamento (pois a liberação demora mesmo) e determinação (para consegui-lo).

Abraços, Fernando

Anúncios