Não, não há erro de digitação e, sim, é uma manchete de jornal de HOJE (1 dia depois dos juros terem subido 0,75%)!!

Mesmo que a lógica do autor esteja correta, o título parece provocação – não duvido que o seu inbox esteja cheio de e-mails desaforados, ainda que por ignorância.

Respaldado por opiniões de gente do mercado (ainda que nenhum peso-pesado tenha sido citado), ele sugere que o mercado entenderá que:

  1. O Banco Central irá apertar os juros por um curto período de tempo.
  2. Por conta de sua atuação firme, a inflação cairá nos próximos meses.

A conclusão é que as cotações dos futuros longos (e.g. 12 meses) de taxas de juros, na  BMF, indicarão uma taxa (anual) consideravelmente mais baixa do que aquelas de futuros mais curtos. Deu pra entender?…não se culpe, pois é enrolado mesmo.

A expectativa é, portanto, que a taxa de juros um empréstimo com 12 meses de duração venha a custar menos que um de 3 meses – é a tal curva de juros invertida.

A análise é inteligente, faz sentido e é bem possível. Mas não nos iludamos, pois:

  1. A imensa (!!) maioria dos tomadores de crédito só precisa – e só obtém – empréstimos de curto-prazo, i.e. não tirarão vantagem alguma das taxas mais baixas dos empréstimos longos.
  2. Os bancos, que usam os futuros da BMF para travar (i.e. fixar) o custos das suas captações de médio e longo prazo, não irão repassar este benefício à toa, mas só quando a competição os forçarem.

Mas continuo achando que a manchete foi gozação. 🙂

Abraços, Fernando

Anúncios