Vocês sabem que eu não escrevo sobre investimentos neste blog. Acho que já tem muita gente analisando os mercados de ações, dólar, commodities, etc. Estou certo que isso leva certas pessoas a acharem que é assim que ficarão ricas, esquecendo-se que o primeiro passo é poupar pra valer.

Mas o link abaixo é uma interessante nota sobre poupança e tem a ver também com Educação Financeira, este sim é um tema que me seduz.

http://economia.uol.com.br/financas/investimentos/2008/07/24/ult5346u76.jhtm

Aí me veio à cabeça um ERRO que a imensa maioria dos brasileiros comete:

1. Primeira coisa que faz é poupar uma parcela do salário, por conta de disciplina, controle, etc.

2. Em seguida, quando a grana acaba (porque poupou), ao invés de sacar recursos dos investimentos o cidadão faz compras à prazo ou entra no cheque especial.

Isto é o que chamamos de arbitragem negativa, ou seja, o dinheiro poupado é investido a taxas equivalentes a 80% do CDI, enquanto as suas compras à prazo custam no mínimo 4 vezes o CDI.

Este tipo de comportamento traz uma falsa sensação de seriedade e responsabilidade: “Ah, eu poupo R$ 2.500 por mês religiosamente!”, me dizia um amigo. Mas no fundo o cidadão está apenas fazendo uma má gestão de ativos e passivos (i.e. de investimentos e dívidas) – mensalmente, o meu amigo adicionava outro anto de dívida com custo bem mais alto do que a rentabilidade de sua imaculada poupança.

Se a compra for inadiável, não poupe e compre à vista com desconto. Do contrário você estará fazendo dois favores para quem não precisa: um favor é para o banco, pois você estará dando funding barato para ele e o outro será para o varejista (ou para quem o financia), pois você estará pagando juros altos.

Como diz a canção da banda de rock Metallica: “Sad but true”…

Abraços e um grande final de semana! Fernando