Empréstimo Tomado é Empréstimo Pago

“Empréstimo Tomado é Empréstimo Pago!!”

Sim, este post faz uma analogia ao Batalhão de Operações Especiais, da PM do Rio de Janeiro, e seu famoso mote “Missão dada é missão cumprida”.

O mote do crédito que maximiza o relacionamento bancário é “Empréstimo Tomada é Empréstimo Pago”. Analisemos:

1. Motivos: sempre que o cliente declara ter dificuldades para pagar um compromisso (seja para o banco, financeira ou seguradora de crédito), por mais que apresente as melhores razões do mundo, o gerente vai ficar com um pé atrás – mesmo que renove o empréstimo, ou cubra a conta, seja lá de que jeito for, a relação ficará marcada. Obviamente, se isto acontecer uma vez e nunca mais, a coisa é esquecida, mas se acontecer “de vez em quando”…e o principal motivo para atrasos nos pagamentos é, na verdade, a mania que nós brasileiros temos de deixar tudo para o último minuto. Se houvesse um melhor planejamento de caixa…

2. A solução: se não for possível pagar um compromisso, o mais correto (*) é tomar um empréstimo-ponte (no prazo em que você tenha fundos para repaga-lo) em outro banco em que você tenha linha de crédito aprovada e pagar aquela dívida a vencer. Notem que isto não significa bicicletear as suas dívidas. Esta é uma solução a ser usada quando você já sabe que logo terá entrada de caixa para zerar a tal dívida.

O objetivo deste post é alertar que furos de caixa custam caro, de um jeito ou de outro. Sendo assim, proteja a sua imagem no banco que está com dívida vincenda.

(*) quando digo “estratégia correta”, o faço de olho no que chamo de Maximizar o seu Relacionamento Bancário”, mantendo a sua imagem de bom pagador, responsável, organizado, etc.

Note que os empresários tem todos os motivos do mundo para atrasarem seus pagamentos, e.g. duplicatas a receber vencidas e não pagas, atraso no desembolso de um outro empréstimo-chave, acidente na fábrica ou logístico, etc. Porém, ainda que os seus credores estejam acostumados com este tipo de situação, atraso sempre causa algum tipo de alarme na sua agência bancária e no departamento de crédio.

Portanto, é bom evitar! Mesmo que, eventualmente, dê um pouco mais de trabalho e, no limite, possa até custar um pouquinho mais caro.

Abraços, F.

Anúncios