http://economia.uol.com.br/ultnot/infomoney/2008/08/01/ult4040u13395.jhtm

O link acima é sobre recente novidade anunciada pela Receita Federal: cidadão (CPF) que declarar ganhar uma mixaria (seja via salário ou por outras vias), mas que girar uma fortuna pelas suas contas bancárias, correrá o sério risco de cair na ‘malha fina’. E o que isso tem a ver com Crédito?

  1. Ainda é comum no Brasil que as finanças da empresa se confundam com as do empresário. Na maior parte das vezes, a empresa tem números péssimos e o empresário leva um padrão de vida incompatível com o declarado para a Receita Federal.
  2. Empresário com problemas sérios com a Receita tem menos tempo para cuidar da empresa – e esta tende a se deteriorar.
  3. Se a Receita chegar até o IR da empresa, por conta da ‘malha fina’ do empresário, esta poderá se lascar também.

Um coisa é certa: os financiadores não têm preconceito quanto a empresas especializadas em ‘criatividade fiscal’. Mas bancos, seguradoras de crédito e fornecedores também não gostam de dar crédito (longo, bom e barato) para empresas que convivem com com alto risco contingente – exemplos: fiscal, ambiental e trabalhista.

Andar na linha – e divulgar isto corretamente – aumenta a oferta de linhas de crédito e, portanto, reduz o custo do dinheiro.

Vale para sua reflexão.

Abraços, Fernando