Muita gente acha que o produto financeiro Crédito Consignado é o fim dos problemas para o cidadão endividado. Foi, sem dúvida, uma evolução e uma conquista. Trouxe, porém, muita dor de cabeça, em especial para aposentados.
Abaixo uma notícia que não é nenhum “furo”, mas que deixa claro que o governo não deixará que a “farra” continue. Com o aumento da SELIC e o preço tabelado dos juros do consignado, os bancos passaram a ter suas margens de lucro muito reduzidas.
Alguns bancos menores, especializados neste produto, já anunciaram que reduzirão suas carteiras. Os números do banco central mostram que isto já começou.
É má notícia para a pessoa física, i.e. é hora de ficar com os dois olhos bem abertos.
Abraços, Fernando
Sexta-feira, 29 de agosto de 2008

 
Previdência mantém juro do empréstimo consignado
O Conselho da Previdência Social decidiu nesya quinta-feira manter o teto do crédito consignado para aposentados em 2,5% ao mês. Os bancos queriam aumentar o juro, sob alegação de a taxa básica, a Selic, vem subindo todo mês.A Selic subiu de 11,25% em abril para 13% ao ano agora. Como o empréstimo consignado praticamente não tem risco, porque é descontado diretamente do benefício do aposentado ou pensionista, uma margem mínima já dá lucro aos bancos.

Mesmo sem capitalizar (cobrar juro sobre juro), dá para ver a enorme diferença entre o que os bancos podem cobrar dos aposentados e o que pagam ao seu aplicadores. Com 2,5% ao mês, cobram 30% (como é capitalizado, a taxa é ainda mais alta), ante os 13% anuais da Selic.

 
 
 
 
Carlos Rangel
Da equipe do DiárioNet
Publicada em: 27/8/2008
Anúncios