O link abaixo traz uma boa análise + alguns links, que ajudam a entender a motivação das autoridades americanas para salvar os bancos de Wall Street. Não entro na questão ideológica, mas na técnica apenas.

Atentem para um número: USD 62 trilhões é o volume de contratos (CDS) em aberto. Naturalmente, conforme expliquei num artigo anterior, o valor em risco é muito menor. Porém, acredita-se que este valor em risco é altamente concentrado em Bear Sterns, Lehman e outros que, segundo eu soube hoje, logo estarão em cartaz.

E o que isto tem a ver com o nosso crédito: estes bancos sempre foram os maiores underwriters do mercado de renda fixa (fixed-income bonds). Neste momento, nem eles nem seus investidores estão com “cabeça” para investir em países como o nosso. E isso atrasa a nossa vida. Os bancos comerciais internacionais, que correm imensos riscos de contraparte com eles, idem, porque não sabem o tamanho do prejuízo que os aguarda e estão todos sem apetite de risco.

O estrago na Europa é menor, mas é considerável também.

Oremos. Abraços, F.

http://www.rgemonitor.com/econo-monitor/253566/would_lehmans_default_be_a_systemic_cds_event