O que é “short-selling”:

  1. Quando o investidor acha que o mercado vai subir, ele compra ações e fica…”Comprado”. Nenhuma novidade aqui.
  2. E quando o investidor acha que o mercado vai ‘derreter’, o que ele faz? Ele “aluga” ações (pagando juros por isso) e as vende no mercado, ficando “vendido”.
  3. Em suma, ele deve dinheiro para quem lhe alugou a ação e torce para que o preço desta caia muito. Quando o preço da ação (que ele vendeu) cair ao nível desejado, o investidor a recompra no mercado, a devolve para quem alugou, paga os juros devidos e, se Deus for bondoso com ele, sobrará um bom lucro.
  4. Esta é uma operação de altíssimo risco, pois se a bolsa subir (o que ocorre com frequência), o investidor perderá a diferença entre o preço do aluguel e o preço que a ação atingir na alta, i.e. o prejuízo potencial é infinito teoricamente, mais os juros a pagar.
  5. Este tipo de operação é conhecida no Brasil como “venda a descoberto”.

Por que proibiram este tipo de trade:

  1. Num mercado marcado pelo temor, os chamados short-sellers se aproveitam do forte viés vendedor do mercado e vendem com vontade, afundando ainda mais as cotações!
  2. A iniciativa de venda do short-seller faz com que investidores “convencionais”, que não pretendiam vender suas posições ainda, acabarem por fazê-lo, uma vez que são tomados pelo pânico. Em outras palavras, os short-sellers funcionam como indutores de vendas adicionais, acelerando a deterioração do mercado.
  3. Os “puristas” foram contra esta medida da SEC, mas o resto do mundo, que não vive de volatilidade, agradece – myself included.

E abaixo segue o link da notícia na Business Week.

http://www.businessweek.com/ap/financialnews/D939SJK85.htm

Abraços, Fernando