Ainda tem mais emoção…

5. A gestão de ativos e passivos:

Uma das maiores preocupações dos bancos é administrar o prazo dos seus depósitos vis-a-vis o prazo dos seus ativos de crédito. Imagine a seguinte situação:

  • Na média, os depósitos do meu banco vencem em 15 dias.
  • Também na média, os empréstimos do meu banco vencem em 90 dias.
  • Moral da história: a área de captação do meu banco precisa “pedalar” um bocado para colocar dinheiro para dentro, pois os empréstimos vencem, na média, depois dos depósitos.

E se eu disser para vocês que esta historinha NÃO é hipotética, mas que ocorre no sistema financeiro do mundo todo?

Caros leitores, esta é uma das razões pela qual estamos vivendo estes dias confusos! Além da paralisação do mercado interbancário, as pessoas (físicas e jurídicas de todos os níveis e portes) sacaram seus depósitos de bancos menores (ou com menor reputação) para depositá-los em bancos que julgavam ser mais sólidos. E os bancos que sofreram esses ataques não tinham como fazer caixa, pois seus empréstimos – sempre na média – venciam no futuro.

Solução: ir tomar dinheiro caro do Banco Central do seu país…

Mas banco vive disso e, salvo em casos graves como essa hecatombe financeira (que ocorre uma vez por século), gerencia corretamente esse descasamento. Mas por que os bancos vivem neste ‘fio da navalha’?Usualmente porque ao tomar depósitos mais curtos pagam juros mais baixos, enquanto que ao emprestarem por prazos mais longos acabam por cobrar juros mais altos. Aqui no Brasil, depois de um certo prazo (60 dias, será isso?), os CDBs podem ser resgatados diariamente, i.e. o prazo médio do passivo dos bancos é curtíssimo no Brasil.

E a sua empresa, será que ela também não está descasada? É quase certeza que sim. Faça o seguinte teste:

  1. Imagine-se paralisando a empresa agora, neste minuto.
  2. Você não comprará mais matéria-prima ou produtos para revenda e só produzirá e venderá o que estiver em estoque.
  3. As contas serão pagas nas datas de vencimento e o mesmo acontecerá com os recebíveis.
  4. Idem para suas dívidas bancárias.
  5. E você, empresário, não irá sacar dividendos ou mútuos, nem colocar dinheiro nela.

Pergunta dura para uma resposta honesta: em que dia faltará caixa? E se não houver linha de crédito disponível? Calote, quebra?

Isso já está acontecendo!! Muita atenção!! É hora de liquidez e dívida longa (o que hoje é ficção científica…).

Meu abraço, Fernando

Anúncios