O Estadão deste domingo explora bastante a questão do crédito apertado no Brasil.

A manchete da primeira página é altamente questionável Bancos prometem destravar crédito para empresas . Depois, o Caderno de Economia traz Bancos travam o crédito para empresas.

Decididamente, o Estadão quis chutar a canela dos bancos. Para quem lê este blog – e acredita minimamente nas coisas que aqui escrevo – as duas manchetes são erradas, exageradas. As jornalistas Renée Pereira e Marianna Aragão assinam a matéria, que está correta, mas não foram ao cerne da questão.

Depois o jornal traz uma longa reportagem com o Fabio Barbosa, presidente da Febraban. Leiam abaixo. Deve ter sido uma entrevista difícil. Para se ir a fundo numa entrevista dessas, com uma autoridade como o Fabio Barbosa, que é educado e gentil no limite, é complicado. Os jornalistas Ricardo Grinbaum e Leandro Modé teriam que conhecer muito bem a dinâmica de funcionamento de um banco, seus comitês, etc. De qualquer forma, eu notei um certo mal-estar nas respostas do Fabio, mostrando claramente a dificuldade do momento.

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20081019/not_imp262461,0.php

O presidente da Febraban deu a deixa: o crédito vai melhorar, mas não ficará como era três meses atrás. Para bom entendedor, meia palavra deveria bastar…

Abraços,

Fernando