Mais uma notícia que não é tão nova. Afinal, o leilão foi na 2af.

Porém, acho que a mídia não repercutiu o tema conforme eu esperava. O Valor Econômico de hoje (ou ontem? Enfim, de 3af) apurou:

  1. Que o spread acima da Libor foi baixíssimo: eu esperava que fosse alto, pois os bancos, em tese, iriam se matar para tomar recursos.
  2. Que o Banco do Brasil teria sido o grande tomador: sem surpresa, mas não de forma tão massiva. E os outros?
  3. Que sobrou dinheiro: isso não dá para entender! Supostamente tem dinheiro (em dólar) faltando no mercado e todos os bancos têm cliente ‘miando’ por linha de exportação.

Em sendo tudo isso verdade, a conclusão do blog é a seguinte:

  1. O BB é o grande agente de financiamento do comércio exterior brasileiro, mais especialmente para a pequena e média empresas. Ouvi falar que a fatia de mercado do BB gira ao redor de 30%.
  2. Portanto, é o BB que sofre também a maior ‘sangria’ de linhas na hora da crise. É ele também o que sofre, e de longe, a maior pressão política para captar o máximo possível, pois tem cliente desesperado em todo lugar.
  3. Se sobrou dinheiro é porque teve muito banco que não quis tomar o funding, mesmo tendo cliente pedindo linha. Em sendo isso verdade, não tomaram o funding porque estão com medo de dar o crédito, apenas reforçando o que venho comentando aqui.

Se eu fosse você, empresário que exporta, eu visitaria os bancos e faria uma encomenda de linha para ver o que acontece – obviamente, desde que tenha lastro de exportação, senão dá uma confusão danada! Isso é um bom teste para você saber da sua bancabilidade e do seu prestígio no mercado financeiro.

Abraços, Fernando