Caros:

O mercado esquentou onde não deveria. Algumas visões:

1. O que poderá estar causando isso (e sua probabilidade de ocorrência):

  • Fuga massiva de investidores (trocam reais por dólares): BAIXA
  • Especulação pura e simples (moeda sob ataque): BAIXA
  • Bancos (*) e empresas zerando seus riscos com derivativos cambiais: ALTA

(*) É pouco provável que os bancos tenham montado tais posições para especular. No entanto, venderam tais produtos para seus clientes (i.e. ficaram ‘comprados’ em dólar e ‘vendidos’ em reais). Como boa parte dos seus clientes estão “pedindo para renegociar”  as perdas que estão tendo,  os bancos têm que reverter contabilmente suas posições originais, i.e. cada vez que um cliente não honra o pagamento devido (Counterparty Risk, lembram-se?), o banco fica automaticamente ‘vendido’  em dólar – e tem que zerar este risco, i.e. começa a comprar dólar também.

Sim, é complicado para qualquer um! E o mais inusitado dessa situação é que quanto mais os agentes de mercado procuram se proteger, mais pânico causam e mais perdem (até que se zerem, naturalmente). Sucede que os bancos nunca imaginaram que (i) o produto que venderam daria tamanho prejuízo para seus clientes preferenciais (Sadia, Aracruz, Votorantim e outros tantos não divulgados), (ii) estes iriam “sentar para negociar” pois, em tese, esse tipo de cliente não dá calote (paga e pronto).

Nota: não me recordo de jamais ter visto isso nas demais 147 (*) crises cambiais que fui envolvido por dever de ofício. Esta crise é realmente única.

(*) brincadeira quase verdadeira.

E você, empresário que tem dívidas em dólar (e.g. tem que pagar uma importação), ou cidadão que tem que pagar as contas de uma viagem internacional (como eu, por conta de uma que a minha esposa acabou de fazer…)? O que estamos vendo tende a ser passageiro. Se eu estiver certo. Fazer um ‘hedge’ (e.g. fazer um swap, opção, futuro, etc. com um banco) vai custar caro demais e a cotação do dólar já está alta demais.

É possível que o BC esteja deixando a moeda subir porque quer maltratar os bancos e essas empresas. Talvez. Tipo, “Não vamos queimar reservas cambiais para proteger a banca privada que exagerou na dose”. Talvez.

Uma coisa é certa, a tendência é que a cotação do dólar NÃO fique abaixo de R$ 2,20 no futuro, pois a entrada de dólares aqui será uma raridade em 2009 – salvo via exportações e é bom que o governo cuide bem delas. Quem depende de importações deve REFAZER seu planejamento estratégico e orçamentos.

E o seu crédito? Todos os bancos do Brasil (e seguradoras de crédito) vão querer saber direitinho sobre a sua exposição ao dólar, i.e. se você tem fluxo positivo ou negativo na moeda, se tem dívidas em dólar e, principalmente, como irá se virar para reduzir/eliminar sua exposição. Exemplo: se poderá repassar o custo adicional para o preço de venda dos seus produtos ou substituir produto importado por equivalente nacional, etc.

Abraços, Fernando