1. FB na TV

Este executivo-blogueiro foi entrevistado pela TV Bloomberg e lá aparecerá, amanhã às 7:15, às 7:45 e a cada trinta minutos. Serão os 6 minutos mais informativos que vocês poderão ter…naquele horário e naquele canal.🙂

 

2. Ações exóticas de Bancos Centrais

Imaginem que o Banco Central americano, o FED, anunciou uma ajuda financeira de USD 500 bilhões (*)para EMPRESAS. Foi batizada de Commercial Paper Funding Facility (CPFF). Vale lembrar que Banco Central só cuida de liquidez de instituição financeira. Nunca tinha ouvido falar de BC dar crédito para empresas!

Detalhe imporante (mais um): empresas do porte de uma GE (!!!) se candidataram para essa linha. Recado para os analistas da nossa Balança de Pagamentos: as multinacionais não irão investir no Brasil (e em lugar nenhum) enquanto a situação de (falta de) liquidez não for normalizada nas suas casas-matriz. E, pior, irão arrancar todos os dividendos legalmente possíveis daqui e de todas as demais filiais/subsidiárias.

Anotem aí: em 2009 teremos um câmbio bastante pressionado. R$ 2,20/USD será o piso.

(*) Estes USD 500 bi somam-se aos outros USD 700 bilhões do Plano Paulson! Faz tempo que não se lê na imprensa temas mensurados em bilhões, já repararam?

Voltando, o FED aceitará a seguinte remuneração mínima para as CPFF de 90 dias:

  • 1,88% a.a. para papéis sem garantia.
  • 3,88% a.a. para papéis com garantias de duplicatas (“asset-backed”)

PS: É juro pra lá de negativo, gente!

http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601087&sid=ah3SyUAJ2S0U&refer=home

A nossa cota de exotismo foi a MP 443 autorizar a CEF a comprar empresas que tenham problema de liquidez. O nosso BC continua rígido.

3. A blogosfera informa

  • Heizo Takenaka, o festejado ex-Ministro da Economia do Japão, reconhecido por ter salvado o sistema financeiro daquele país, fala que os BALANÇOS DOS BANCOS AMERICANOS NÃO SÃO CONFIÁVEIS.
  • E eu digo: não adianta os BC’s do mundo capitalizarem uns 20 bancões porque o sistema é composto por muitos milhares (só nos EUA são 7 mil). E o resto? Ninguém vai depositar um centavo neles! Aí o dinheiro não circula, o crédito não chega na ponta tomadora…
  • Heizo-san também diz que os países do sudeste asiático (e.g Indonésia, Filipinas, etc.) sofrerão forte recessão, pois suas exportações são fortemente direcionadas para os EUA.
  • Os países da antiga União Soviética (e.g Belarus, Ucrânia), do Leste Europeu (e.g. Hungria) e do Báltico (Lituânia, Estônia e Letônia) estão muito mal das pernas. O problema evolui de uma crise de crédito para uma crise cambial rapidamente (similar àquelas que tivemos várias vezes no passado). Agora o FMI vai voltar a ficar bem ocupado e poderá parar de fazer projeções pateticamente otimistas (que ele mesmo desmente em seguida).
  • Via A Mão Visível (link ao lado), aprendi que os bancos da Áustria estariam bem fragilizados, em especial por serem muito ativos no Leste Europeu…
  • Lembram-se que a Rússia vem sendo o país com o pior desempenho entre todas as bolsas de valores do mundo? Descobri a razão: os oligarcas russos, entre uma vodka e outra, compraram todas as ações que conseguiram graças a empréstimos baratos. Tal qual os Hedge Funds, estão tendo que desmontar suas posições a toque de caixa para pagar os ajustes de margem. A ações subiram mais rapidamente do que deveriam para agora caírem como foguete. Isso é o que muitos chamam de desalavancagem, ou deleveraging (em inglês).

Acho que é isso, por hora.

Abraços, Fernando