Caros – eu tento, eu juro que venho tentando ser menos pessimista. Mas quanto mais se cava, mais coisa errada e perigosa a gente acha. Eu já comentei sobre os Hedge Funds. Eles compõem a primeira bomba-relógio: dependendo de quem explodir, o mercado e o crédito sofrerão novos enormes abalos – assumindo que o FED não irá ajudar fundos (não-banco) ultra-especuladores.

Agora que as cotações reagiram um pouco, os jornalistas foram atrás de mais uma bomba-relógio. E acharam os já falados cartões de crédito dos americanos. O texto abaixo, em inglês, mostra a crescente preocupação de banqueiros e governo com a contínua deterioração das carteiras de bancos, empresas de cartões e varejistas. E como a situação econômica só irá piorar nos próximos 12 meses, espera-se também que o desemprego contribua para que hajam perdas ainda maiores. Falam em USD 55 bilhões nos próximos 12-18 meses – já tiveram mais de USD 20 bilhões este ano. Eu acho que será pior. Pode considerar mais USD 100 bi na conta de Mr. Paulson & Mr. Bernanke.

A situação não seria tão grave se os bancos não estivessem tão descapitalizados e tão fragilizados gerencialmente.

http://www.nytimes.com/2008/10/29/business/29credit.html?pagewanted=1&_r=1&hp

O link abaixo mostra um complemento perigoso para o consumo dos americanos: o índice de confiança do consumidor bateu o recorde histórico de baixa, desde que o índice foi criado. Isso fortalece o sentimento de que a recessão será forte e duradoura, conforme previu Nouriel Roubini meses atrás.

http://www.ft.com/cms/s/0/776b96f0-a4f8-11dd-b4f5-000077b07658.html

Anotem aí: o fim do liberalismo americano atingirá novos patamares. O Barack Obama terá que resgatar pessoas físicas, como nem o mais radical republicano sonhou fazer. Terá que cancelar impostos durante um ano ou coisa parecida, pois a população está quebrada de tanto crédito e ainda perdendo emprego aos milhares por semana (segundo as estatísticas). Após resgatar bancos, após o FED emprestar dinheiro para EMPRESAS, o que mais falta? Financiar o cidadão comum, oras – afinal, eles é que votam! E o farão via corte brutal de impostos ou algo com similar criatividade.

Bem, certamente não haverá tanto dinheiro no mundo para comprar tanto título público americano. Acho que a máquina de imprimir dólares será usada com sofreguidão. Mas aí tem inflação, né? É… mas deixa isso pra lá…um drama de cada vez.

Oremos para eu estar errado!

Fernando