Acho que depois do filme de Spielberg,  A Lista de Schindler, a lista de clientes de Bernard Madoff, o maior fraudador da história das finanças internacionais, deve ser a que dará maior ‘ibope’.

Clique abaixo e olhe com atenção, para descobrir se o seu banco e/ou seu fundo investiu nos fundos de Mr. Madoff, ou em outros fundos que o fizeram.

http://projects.nytimes.com/creditcrisis/madoff_clients/table

F.Blanco e os fundos de investimentos – eu não tinha um centavo investido nos fundos de Madoff, ou em fundos que possivelmente pudessem investir nos fundos dele. E não foi por “pura sorte”. Por que? Eu sou um executivo financeiro e, apesar de hoje lidar exclusivamente com seguro de crédito, já convivi bem de perto com boa dose de exotismo financeiro e com gente que investia sua grana em operações de alto retorno (e alto risco).

Eu, por outro lado, nunca (!) investi em nada mais complicado do que em um fundo de renda-fixa/DI ou num fundo de ações (sem alavancagem, sem derivativos, etc.). E mais, tais aplicações sempre foram feitas nos bancos em que eu tive minha conta-salário (i.e. bancões acima de qualquer suspeita). Sempre fui avesso a ‘boutiques’, pois estas, apesar dos talentos que possam lá trabalhar, não têm lastro para bancar uma perda de mercado ou fraude – com um bancão, que tem muitos outros negócios a perder com o investidor (e que tem muito capital para absorver o impacto), a conversa é diferente.

Sou careta, que é ser mais do que conservador. Acho que deve-se ficar bem de vida, rico ou milionário (você escolhe) através do trabalho e da poupança, nunca através de apostas em mercados ou intermediadores financeiros de alto risco – conheci muita gente que perdeu muito dinheiro (“na física” e “na jurídica”) no Banco Santos. Inexplicável. Nada contra quem o faz, mas que não reclame das perdas, pois o jogo é de alto risco.

Abraços,

Fernando

Anúncios