Neste momento, numa galaxia distante,

Líderes do mal exploram os habitantes de um planetóide azul

Extraem valor enquanto podem e os descartam quando não mais precisam deles

Mas surgiu um paladino da justiça, munido de cargo público, discurso populista e muitos microfones à disposição

“O Império contra ataca”

Estrelando:

  • Skaf Vader, no papel de vilão
  • Lupi Skywalker, no papel de mocinho

Inconformado com a série de demissões, Lupi Skywalker declarou, para quem quisesse ouvir Universo afora, que: “Tem empresa esperta tirando vantagem da situação”.

O intrépido neo-jedai cresceu assombrosamente desde que Mestre Lula Yoda o promoveu. Primeiro chamou para si – e para seu Mestre, porque não é bobo – as glórias do recorde de empregos gerados em 2008. Afoito e nada humilde, não soube reconhecer que o país vivia tamanha bonança por estar inserido na tal Globalização (ou seria Galaxiação, ou Universalização?).

Quis o destino, porém, que uma tremenda chuva de asteróides varresse a economia da dita galáxia, gerando desemprego generalizado em todos os planetas, inclusive no planetóide em que vivem nossos heróis.

Lupi Skywalker, no entanto, não perde a pompa de jovem jedai e sai para o ataque: “As liberações de recursos que tínhamos que fazer já foram colocadas. Agora, aqui no Ministério do Trabalho, [empréstimos] com recursos do FGTS e do FAT têm que estar amarrados com a garantia dos empregos. Se não tiver, isso eu garanto, não sai mais um centavo”.

O que Lupi não esperava, porém, é que o Império decidisse dar um basta em suas pretensões. Skaf Vader, líder do Império dos Espertos, reuniu ontem, na Estrela do Mal da Avenida Paulista, seu comando maior. Tinha de tudo lá: o presidente da Vale (que lucrou muito no passado recente, mas que sofrerá muito agora), o presidente da FEBRABAN (não entendi a razão de tal presença!), Lawrence Pih (o empresário mais PTista do país), o Senador Tourinho, etc.

Skaf Vader, cheio de razão, largou o verbo:

“Salvar empresas é diferente de reduzir IPI, como foi feito pelo governo com a indústria automotiva recentemente. Temos uma carga tributária de 37% sobre o PIB [Produto Interno Bruto] no Brasil. Essa carga tributária aumentou muito nos últimos 20 anos. (…) O governo desonerar [impostos], isso ele sempre fez. Assim como aumenta a carga, faz política setorial e desonera imposto. Não quero crer que isso signifique estar salvando empresas com recursos públicos”.

Segundo o presidente da Fiesp, o ministro não pode estar se referindo a “eventuais empréstimos”, feitos no Banco do Brasil, por exemplo, com elevados custos. “Qualquer um aqui aplica seu dinheiro no Banco do Brasil, que toma aqui e empresta ali. Não me parece que isso sejam recursos públicos”, disse.

“O ministro Lupi precisa me explicar. Eu gostaria de conhecer a lista das empresas salvas e a origem dos recursos e a autoridade que está usando dinheiro público para salvar empresas. Eu desconheço empresas sendo salvas com recursos públicos”.

A luta promete. A galáxia está atônita, pois a situação econômica acabou de ficar ruim – e só irá piorar -, mas já estão neste nível de bate-boca! Vindo para o escritório hoje cedo, este blogueiro captou um sinal intergalático no rádio, onde uma liderança da CUT, cujo codinome era Banha, dizia que “as empresas que recebem subsídios do governo não podem demitir, reduzir salários, etc”. O dito senhor Banha é da CUT de S.J.dos Campos, onde fica uma unidade da GM que demitiu funcionários recentemente. Subsídios? Onde, de quem, para quem? Viu só, o jedai de Brasilia fala e a patuléia galáxia afora repete. Olha o perigo de uma guerra integalática aí gente!!

A grande dúvida fica por conta da postura de Mestre Yoda Lula. Nosso Mestre é sábio, apesar do pouco estudo e da aversão estomacal que declarou ter à leitura de jornais. Apesar do seu passado operário e de ter muito lutado para que os governos passados se portassem exatamente como seu ministro Lupi Skywalker o fêz,  i.e. ameaçar os empresários do mal, Mestre Yoda mudou muito.

Ele aprendeu que o país não anda sem empresas sólidas e não deverá partir para – ou patrocinar uma – luta de classes fraticida.

Aguardemos os próximos capítulos desta saga trabalhista interestelar!

Fernando “George Lucas” Blanco

PS: tudo aqui é ficção científica, tá bom?!…