(versao revisada 2 horas depois da original)

Caros amigos, o blogueiro nao abandonou o barco, pelo contrario, esta sentindo muita falta de postar. Especialmente por estar em Paris (a trabalho…) e haver testemunhado muitas historias interessantes sobre a crise, o futuro e a visao que os principais atores internacionais tem do Brasil.

A viagem – eu vim participar de dois eventos internacionais que a Coface promove anualmente:

  • Country Risk Conferece: este ano foram 1.400 participantes (no lindo Carroussel du Louvre)!! Os top speakers foram o badalado economista de Harvard (e ex-FMI) Keneth Rogoff (e que agora faz parte do seleto “grupo dos 30”, que ira assessorar o Presidente Obama) e o Presidente do Banco Central da Europa, Jean Claude Trichet.
  • CreditAlliance: evento interno da Coface, que reune seus parceiros internacionais (seguradoras, empresas de informacao e cobranca de credito) e um grupo seleto de clientes globais.
  • Alem de outras reunioes na matriz, entre elas a aprovacao do nosso projeto de oferecer credito para empresas, com garantia de recebiveis e seguro de credito.

Infelizmente, porem, o tempo anda curto demais, pois tem trabalho dia e noite e nao sobra nada para blogar (nem para passear pela fria e gelida Paris…). Mas aqui vai um resumo:

  1. O Brasil eh a atual ESTRELA BRILHANTE da economia mundial na visao da Coface, de economistas internacionais, de grandes multinacionais, etc. Estou orgulhoso como brasileiro. Sou da geracao que viu o Brasil dar calote internacional, fazer diversos planos economicos malucos, conviver com inflacao sem controle e ser um sinonimo de pais pouco serio. Quando eu interagia com banqueiros estrangeiros ou participava de eventos internacionais, so ouvia coisa negativa sobre o pais – quase sempre exageradas! Agora foi uma sensacao unica: todos elogiando o pais e afirmando que sairemos melhor do que nossos “concorrentes’ (eg China, India, Russia, etc.). Mas, ha sempre um mas: todos acham que a situacao global ainda vai piorar antes de melhorar e isto podera atrapalhar o pais um pouco mais – e eu concordo com isso!
  2. Ninguem, repito, ninguem sabe o que fazer para que os bancos voltem a emprestar. O meu CEO Jerome Cazes disse: “Os bancos sempre ajudaram as economias a sairem das recessoes, mas desta vez eles eh que estao empurrando as economias para a recessao”. Verdade! A diferenca (boa) para o Brasil eh que nossos bancos estao solidos – conservadores, porem solidos. Quando o apetite de risco deles voltar, o pais voltara a crescer – menos do que antes, mas voltara. Aqui no (antigo) Primeiro Mundo eh mais complicado, pois os bancos estao sem capital, sem confianca e com todo conservadorismo possivel e imaginavel.
  3. 2009 sera um ano perdido e de 2010 pra frente o mundo voltara a crescer entre pifios 1% e 2%. Nao ha muito a comentar sobre isso. Paris esta na segunda remarcacao de precos para baixo. Impressionante. Os italianos me disseram que a Italia parou tambem, assim como ja havia acontecido com Portugal e Espanha. O Reino Unido vive a pior crise economica desde a depressao de 29, enquanto que a Alemanha esta desacelerando tambem. A Uniao Europeia revisou sua projecao de crescimento para 2009 e estima – 1,8%. Como de habito, fiz amizade com taxistas, que me contaram que esta tudo devagar. Nos EUA, apesar da linda festa e a escancarada demonstracao de patriotismo, o proprio Obama deixou claro que o dia-a-dia do pais sera de muito trabalho e sacrificio (e seu assessor Rogoff me disse que nao espera que o pais volte a crescer acima de 2% ao ano nos proximos 10 anos – DEZ ANOS -, o que eh impressionante). Sera o preco de resgatar o sistema financeiro, o sistema imobiliario e o sistema de saude ao mesmo tempo.

Volto a escrever assim que possivel.

Abracos saudosos, F