Não, pelo amor de Deus, não é PaGODEIro e sim PaCOTEIro, de “pacote” e não de “pagode”!!

Gracinhas à parte, os desdobramentos desta crise estão nos mostrando – duramente – que a globalização foi um fenômeno unidirecional e devidamente hierárquico, i.e. a locomotiva do mundo continua sendo os EUA, com Europa e Japão sendo boas caixas de ressonância dos ventos advindos dos EUA. E aprendemos que China e os BRIC’s não passam de atores co-adjuvantes na cena mundial, sem força para manter a economia avançando se a locomotiva parar. 

E a locomotiva, que está deprimida, precisa de um choque forte e urgente. O recém-empossado Presidente Obama sabe disse e mostra ao que veio, através das seguintes ações:

1. Pacote de Estímulo Fiscal

São USD 825 bilhões que visam desonerar os americanos de várias formas. Tem dinheiro de todo jeito e para todo mundo. Agora, quem achava que Barack Obama teria vida fácil durante a Honey Moon de 100 dias, enganou-se olimpicamente! O plano até passou na House (Câmara dos Deputados), mas está empacada no Senado. Detalhes:

  • Na Câmara, o pacote foi aprovado na truculência, i.e. com votos de Democratas (como Obama) apenas, sem nenhum voto Republicano.
  • Apesar do mesmo poder acontecer no Senado, lá a coisa está pior, pois o pacote está se transformando. O senadores, aparentemente mais influenciados pelos Republicanos, acreditam em renúncia fiscal ao invés de maiores gastos (em saúde, p.ex.).

Eu acho, no entanto, que seja lá qual for a cara final deste pacote, ele não provocará o tão necessário impacto psicológico que é tão necessário para revitalizar a nocauteada confiança da população americana. 

Além da questão acima, i.e. da pulverização de medidas, destaco:

  • O pacote, que já foi mexido, inclui agora proteções aos produtores de aço americano e isso tende a piorar. É o que chamam de Buy American (i.e. comprem produtos Made in USA). Fiz uma rápida pesquisa e concluí que só Poliana e a Velhinha de Taubté ainda acreditam que não haverá recrudescimento do protecionismo mundial.
  • Paul Krugman nos apresenta Dean Baker – outra fera da análise econômica -, que demonstra que estes USD 800 bilhões são muito pouco em relação ao esfriamento da demanda do consumidor americano (algo como USD 2,7 tri). Talvez esta grana sirva para fazer a economia ‘pegar no tranco’, talvez não. Leiam mais sobre esta visão aqui.

2. Pacote do Sistema Financeiro

Já sabemos que não há estímulo fiscal no universo que irá tirar a economia americana (e mundial) da sonolência, se o sistema financeiro não se recuperar do coma – talvez irreversível – em que se encontra. E é este pacote que está mais difícil de ser embrulhado e o que mais me preocupa. É uma tarefa para os deuses. Por que estou assustado:

  • Geithner sabe tudo, pois era o Chairman do FED de NY, i.e. foi testemunha ocular da história – e um pouco responsável também – pois viveu a construção e a derrocada deste modelo.
  • O Obama’s team todo teve o tema e a oportunidade de observar as lambaças feitas pelo time de Bush, liderado por Henri Paulson, e esperava-se que já pudesse ter algo pronto para ser lançado.
  • Já foi testado de tudo. O que mais daria pra fazer, salvo estatizar os bancos e fundí-los (para reduzir custos)? Que o façam, então. Mas é difícil de implementar, muito difícil – tanto tecnicamente como politicamente.

Lula e os pacotes de Obama – bem ao seu estilo brincalhão, nosso Presidente declarou que “vem rezando mais por Obama do que por ele mesmo”. Ligando a tecla SAP – de brincalhão para sério – temos: “Se os EUA não sairem da economia depressiva em que se encontram, o Brasil e o resto do mundo manter-se-ão em recessão por um bom tempo“. E ninguém quer isso, indepentemente da matiz ideológica.

In Obama we trust – For Obama we pray!

Fernando