Não é à toa que já flagaram os primeiros fios ‘prateados’ na até então intocada cabeleira negra de Barack Obama. Ou cresceram os primeiros fios ou simplemente vem faltando tempo para Mr. Obama passar aquele bom e velho Grecin 2000.

Hoje o dia foi quente nos EUA, mas ele foi ao ataque:

1. Liberou geral: O FED usará USD 1 trilhão para aquisição de títulos do Tesouro, visando dar liquidez aos mercados, reduzir os juros de longo-prazo e mostrar que não faltará financiamento para as agências hipotecárias federais (Fannie Mae e Freddie Mac, cujos papéis também serão comprados pelo FED). Agora, será apenas a mais inconveniente das coincidências o fato de Brad Setser haver postado este artigo sobre a diminuição do apetite dos estrangeiros pelos títulos de longo-prazo do Tesouro americano? Ah, e de onde vem o dinheiro do FED para tal aquisição? O NTY fala claramente em emissão de moeda…

2. “Ninguém mexe com o meu guri! Ele tá prestigiado!”: seria mais ou menos assim a tradução da coletiva que Barack Obama deu hoje, nos jardins da Casa Branca, e que eu assisti ao vivo pela CNN. O garoto em tela é Tim Geithner, seu Secretário do Tesouro (ou Ministro da Economia). Ele vem, de fato, se atrapalhando demais na execução do programa de resgaste dos bancos e, injustamente, está apanhando por conta do bônus da AIG. O cúmulo do desprestígio é ter sua demissão negociada em contratos futuros (via internet e fora da bolsa, naturalmente). A turma aposta na data da saída e o contrato de junho parece ser o mais líquido.

De qualquer forma, os mercados reagiram bem. Vivemos dias de busca descomunal por boas notícias.

Saudações, F.