Dados: ABPO, via Blog da Miriam Leitão

Primeiramente, espero que todos tenham tido uma Feliz Páscoa!

O gráfico acima mostra três coisas:

  • Duas curiosidades: o pico das vendas de 2008 foi mais alto do que nos anos anteriores e a queda também foi muito mais vertiginosa.
  • Uma importante: a curva de vendas começa a se recuperar.

O papelão ondulado é um item que nos ajuda a entender a atividade econômica, pois é chamado de “embalagem das embalagens”. Quase tudo é embalado em papelão ondulado. Quando se produz e vende-se muito, há muito o que se embalar e, portanto, o papelão ondulado vende que nem ‘pão quente’. A recíproca é 100% verdadeira.

Hoje, Márcia De Chiara, do Estadão, nos traz duas matérias bastante ilustrativas sobre a produção no Brasil. Ver a seguir: Economia dá sinais de recuperação e Nocauteada, indústria perde R$25 bilhões em 6meses.

A segunda matéria ilustra o trágico último trimestre de 2008, com perda de rentabilidade. A reportagem não aborda, mas a indústria perdeu crédito também – volume e prazo, com custo mais alto – e é isto que atrasa a retomada dos negócios.

Já a primeira matéria demonstra o que o gráfico acima torna transparente: muito setores voltaram a produzir. A razão é simples e fundamental: os estoques estão se ajustando. As liquidações de Natal e pós-Natal fizeram efeito e as prateleiras e armazéns começaram a ficar vazios.

Atenção, ninguém – que eu saiba – está investindo! Estamos falando de retomada da produção básica, mas isto é importante para manter e recuperar aos poucos os empregos perdidos. A retomada dos investimentos em novas fábricas, linhas de produção, etc., dependerá do otimismo do consumidor e do empresariado – e em seguida dos banqueiros! Estamos londe disso ainda. Teremos um projeto aqui e outro alí, motivados por um ou outro empresário visionário, arrojado e capitalizado. Se faltar qualquer um destas três características, não tem expansão.

O crédito está se recuperando, aos poucos, via empréstimos para as grandes empresas, que repassam sua liquidez para fornecedores e clientes (via prazo de pagamento). Os bancos começam a analisar os balanços e notam que, apesar da hecatombe do final de 2008, as empresas estavam suficientemente capitalizadas. Isto viabilizará a retomada do crédito para capital de giro.

Spreads – estes só cairão na medida que a oferta de crédito ultrapassar a demanda. A demanda anda fraca – porque os negócios andam devagar -, mas para as empresas transparentes e profissionais no Relacionamento Bancário os spreads JÁ ESTÃO CAINDO – E RÁPIDO!

Amigos, o crédito voltará para o seu negócio – em volume, prazo e preço mais baixo – mais rapidamente se você for transparente com seus bancos. Só isto funciona. Palavra de escoteiro!

Abraços e ótima semana!

Fernando

PS: a inadimplência (em geral) está muito alta e continuará subindo. Na minha opinião, este processo só se reverterá a partir de junho/julho.