Olá!

Eu não gosto da frase acima, apesar dela ser dita por gente amiga e decente. E a frase é verdadeira – mas mesmo assim eu não tenho simpatia por ela. Por que?

Ora, numa crise como esta – ou até mesmo nas outras, menos agudas – a imensa maioria sofre. E, obviamente, uns poucos ganham. É da vida, é do jogo. E não significa também que os vencedores fazem trapaça ou qualquer ação indevida.

Em crises sistêmicas, como esta, só ganham:

  1. Uns poucos que operam em setores que se beneficiam dela.
  2. Outros poucos que tiveram sorte e venderam suas posições antes do crash, ou ainda, alguns que tomaram recursos e não investiram (i.e. estão com o caixa cheio).
  3. Pouquíssimos inteligentes que enxergaram o problema antes e agiram de acordo.

Sucede que a maioria das pessoas que dizem “Crise é Oportunidade” – e eu cruzo com elas aos montes, nos eventos em que palestro – o fazem para agradar a platéia. Confesso que sinto um certo prazer ao desmontar os argumentos vazios deles! Sabemos depois, de um jeito ou de outro, que estes ‘papagaios’ de palestra simplesmente foram sorturdos e estavam fora do jogo do mercado ou eram perdedores e queriam manter a pose.

O Financial Times de hoje nos traz dois exemplos de ganhadores (às custas da tragédia alheia, coisa típica destas crises do capitalismo):

1. A Goldman Sachs compra ativos de Private Equity com desconto 

2. Muitas Fusões & Aquisições graças às falências da crise

Vejam, não há nada de errado com as notícias ou com os fatos acima. Eu apenas não gosto do momento que vivemos e, portanto, não curto fazer barulho por conta da tragédia alheia. Crise é oportunidade? Sim, Crise para 99, Oportunidade para 1. Dá para gostar de uma frase desta? Eu não gostaria nem mesmo sendo o tal 1…

Acho que estou ficando humanista demais e capitalista de menos…tem ONG contratando por aí?…

Abraços, F.