Caros – há um ano o FMI se debatia, agonizava, em função da falta de papel que o lendário (e antipatizado) Instituto tinha na economia mundial. Suas projeções eram totalmente descarrilhadas, pois a crise já estava em trabalho de parto e o FMI custava a admitir sua inseminação.

O tempo passou, a crise foi parida – e provou ser por demais robusta -, os líderes mundiais concluiram que só com coordenação internacional conseguiriam domá-la e não acharam instituição melhor que o FMI para cumprir esta tarefa.

Tal qual a fênix, eis que o FMI ressurgiu das cinzas – e com galhardia. Mas este post não quer filosofar sobre o tema, mas apenas dividir com vocês a análise e as projeções do Fundo para a economia mundial.

Diferentemente das anteriores, então excessivamente otimistas, estas projeções parecem-me bem realistas e sem catastrofismos.

Boa leitura + abraços, F.