Pego carona no blog da Miriam Leitão, que nos ajuda a refletir sobre a recuperação da economia brasileira. É só ver abaixo.

Continuo com a minha tese:

  1. Comparações ano-contra-ano são inúteis (e.g. Mar/98 vs. Mar/08), pois o tombo é grande demais.
  2. Nestes dias de recessão aguda, o que vale é notar que a produção cresce contra o mês anterior. Esta é a minha opinião, mesmo sabendo que isto desrespeita os impactos sazonais.
  3. A produção industrial do primeiro trimestre de 2009 foi pior do que a do último trimestre de 2008. A princípio isto choca, mas tem uma explicação: apesar do parto da crise ter sido em 15 de setembro, ainda havia uma inércia grande nas fábricas, muitas produzindo para o Natal.
  4. Ainda assim – e graças a Deus -, acho batemos no fundo do poço.
  5. Voltamos a crescer timidamente.
  6. O processo de retomada será lento e longo.
  7. Só teremos mais vigor econômico quando o crédito bancário voltar pra valer e, no campo institucional, quando governo + congresso mudarem as leis que atravancam o país.

Abaixo, o post da jornalista Miriam Leitão. Abraços, F.

Produção industrial: mais um degrau na longa escada

O gráfico abaixo é uma boa síntese da produção industrial do país: houve uma queda muito forte por causa da crise no final do ano, com uma recuperação lenta, mês a mês. Reparem que apesar da curva estar em trajetória ascendente, os três primeiros meses do ano ainda foram mais fracos que os últimos três de 2008 (queda de 7,9%).

Para caber na telinha do blog, o gráfico precisou ser reduzido, mas cada ponto vermelho representa o resultado bruto de cada mês (as barrinhas são a média móvel trimestral). O último resultado é de março, o anterior é fevereiro e por aí vai. Vejam que em outubro e novembro, o desempenho da indústria ainda estava bem melhor do que agora. Foi isso que fez o resultado do 4º trimes ser melhor que o do 1º tri de 2009.