Moro num país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza…”

Assim cantava, na distante e charmosa década de 70, o controverso Wilson Simonal. Mais ufanista do que esta, só aquela “Este é um país que vai pra frente…”, cuja letra parece ter sido ditada pelo então Ministro-chefe da Casa Civil, General Golbery do Couto e Silva – eu disse Casa Civil? Velhos tempos…🙂

Mas é isso: somos ufanistas, bem humorados, otimistas, pensamos positivamente, não tem crise que abale a nossa confiança…e não estamos nem ai para os juros altos.

É só por isso que os dados recém divulgados sobre intenções de consumo estão em níveis pré-setembro de 2008. E eu digo: que bom! Se tivéssemos a cabeça dos europeus, o país estaria numa recessão daquelas, ainda que os juros estivessem lá embaixo (lógico, porque os meus amigos europeus me dizem que os juros verde-amarelo são ultrajantes e que não comprariam nada a prazo se aqui morassem).

Se por um lado este novo boom de consumo é ‘patrocinado’ pela oferta de crédito, por outro lado a inadimplência não para de subir e essa conta não fecha…

Mas a melhor notícia que tenho mesmo é que as siderúrgicas começam a dar sinais de retomada de produção, i.e. ajustaram seus estoques e a demanda da construção civil, de infraestrutura e bens de consumo duráveis mostra-se firme.

Boas notícias! “Moro, num país tropical…”

Abraços, F.